Pages

8 de abr de 2015

Crianças francesas comem de tudo - A arte de criar filhos saudáveis e felizes à mesa

Nenhum comentário:
 
  

Crianças francesas comem de tudo
Karen Le Billon - Editora Alaúde
Karen Le Billon é uma canadense casada com o francês Phillip, e que teve a brilhante ideia de ir passar um ano com seu marido e filhas, Sophie e Claire na França. Lá ela percebe o quanto suas filhas se alimentam e  comportam mal à mesa quando comparadas aos costumes das crianças francesas. Ela demorou um pouco para perceber a relação dos francesas com a comida, eles não comem por obrigação, prêmio ou consolo, nem comem com pressa. A refeição deve ser apreciada com prazer e alegria.

Passado por esse choque, Karen percebe o quanto ensinamos nossos filhos a "morrer pela boca". E ao fazer essa leitura, você também perceberá o quanto simplesmente nos omitimos e permitimos que eles escolham suas refeições esperando que um dia amadureçam e percebam por si próprios que precisam comer brócolis.

Imagine que seu filho não quer aprender as letras e nem a ler ou então que não gosta de matemática. Ele vai à escola um dia, "experimenta" aquilo, olha para você e diz "não gostei e não quero!". O que você faz? Espera que daqui há alguns anos ele seja um adolescente maduro e perceba que aprender a ler e calcular é bom para ele e finalmente descida dar uma segunda chance à escola? Claro que não! Você é a mãe/pai e é você quem sabe o que é bom para ele. Você vai insistir, vai incentiva-lo, vai procurar métodos diferentes... E isso é lógico! E me diga por que com a alimentação os pequenos ficam à deriva das próprias vontades sem uma intervenção incisiva dos pais naquilo que certamente influenciará em sua saúde e qualidade de vida?

Seguindo os novos hábitos aos quais foram expostos e questões como essa acima, Karen elabora as 10 regras de ouro para criar filhos felizes e saudáveis à mesa.

Conforme a leitura for prosseguindo, vou postando para vocês os pontos e argumentos interessantes de cada regra. O Arthur ainda tem 9 meses. Ele come muito bem e ama brócolis e beterraba. A mim esse livro será uma ajuda para que tudo continue caminhando bem! Espero que para você ajude de alguma forma também. Certamente vai muito bem um exemplar dele na sua biblioteca! Vamos conferir?!

Pais e mães, vocês são responsáveis pela educação alimentar de seus filhos

 
Incentivar a independência na alimentação é um passo importante para o desenvolvimento da autonomia. As crianças devem cuidar da própria alimentação, certo? "Absolutament pas! Absolutamente não! Isso é a receita para o desastre!" Isso foi o que Karen ouviu de sua sogra, cunhada, primos e amigos do marido... Enquanto com 8 meses sua filha brincava com a comida, cuspia e via a refeição como uma interrupção da brincadeira, os outros bebês devoravam tudo o que lhes era dado e depois dormiam!
 
     "A Sophie é como eu - eu suspirava. - Quando criança eu odiava verduras e legumes."
     "Mais Non! - me diziam. - É que ela ainda não experimentou um número de vezes suficiente. Quando ela estiver realmente com fome, sirva legumes e verduras de novo. Aí ela vai comer tudo, qualquer coisa."
 
O livro cita uma análise feita por psicólogos e nutricionistas franceses que indica que o número médio de vezes que uma criança precisa experimentar uma comida nova até concordar espontaneamente em comê-la é 7. Alguns outros livros franceses recomendam entre 10 e 15 vezes.
A alimentação saudável é uma das mais importantes habilidades que os pais podem ajudar os filhos a desenvolver.
 
Karen relata que partiu então ao preparo de algumas receitas promissoras que poderiam despertar o interesse pela comida em suas filhas, o que não surtiu o efeito esperado. O segredo não está somente em o que, mas também no como, quando e, principalmente, por que as crianças francesas comem.



 
em breve!

Nenhum comentário:

Postar um comentário